O Redes WeGov na perspectiva da organização

O Redes WeGov é um evento anual de Comunicação e Tecnologia no Setor Público que acontece desde 2012. Para quem já acompanha a trajetória do evento, nenhuma novidade. Sempre me lembro da Gabi Tamura, diretora da WeGov, falando como a primeira edição do evento foi um fracasso de sucesso:

”Fracasso, pois não consegui chegar ao objetivo de saber mais sobre como lidar com a comunicação pública digital. Sucesso pois foi a partir de então que começamos a construir nossa comunidade que hoje já conta com quase cinco mil “Social Media Gov” – termo criado por nós da WeGov para nomear estes novos profissionais que surgiram em decorrência da era virtual”.

De lá pra cá o evento foi tomando corpo, ampliando a comunidade e se tornando um dos eventos mais esperados do ano para o setor público. Não é a toa que quando fui incumbida da tarefa de coordenar a 8ª edição do Redes WeGov eu tenha sentido o peso da responsabilidade.

Em 2012, mesmo ano da 1ª edição do evento, eu estava decidindo em qual curso/faculdade ingressar. Comunicação e Setor Público eram temas distantes de mim. Até eu entrar na WeGov, em Agosto de 2017, eu nunca havia tido contato com o Redes e com qualquer integrante da comunidade.

Eu no Redes

Foi somente em 2018, já na 7ª edição do Redes, que eu entendi o que, de fato, o evento era sobre: conexão, cumplicidade e confiança. Os grandes nomes da comunicação no setor público, as dinâmicas de interação, os temas e conteúdos eram o essencial. Mas foi na conexão entre os participantes, na cumplicidade entre os Social Media Govers de compartilhar experiências entre si e na atmosfera de confiança que pairava no ar que eu entendi o quão especial é o Redes WeGov.

Despertar todos esses sentimentos não era tarefa fácil. E, de fato, não foi. Nós sabíamos que 2019 deveria ser uma edição de peso, que todo esse ambiente de confiança precisava ser criado novamente, dadas as circunstâncias da comunicação pública no Brasil.

Redes WeGov conexão
Ana Guerrini, da 99, falando sobre políticas públicas

E posso afirmar, seguramente, de que entregamos a melhor edição do Redes WeGov. O André, diretor da WeGov, brincou que conseguimos falar sobre política, futebol, religião e gênero e continuarmos todos amigos. Mas isso de nada foi uma brincadeira. De fato trouxemos esses temas de uma forma importante e relevante para o debate hoje em dia. Pessoalmente falando, aprendi muito nesses dois dias. Quem diria que no mesmo evento eu ouviria sobre o clube Chapecoense, sobre comunicação feminista, sobre o Papa e sobre as eleições de 2018?! E tudo isso conectado a um mesmo propósito: transformar a comunicação pública brasileira.

Os grandes nomes da comunicação no setor público que palestraram, as dinâmicas interativas, os temas e conteúdos foram extremamente relevantes para facilitar e inspirar o trabalho de comunicadores públicos – e o meu trabalho! – no Brasil. Isso, por si só, já teria tornado deste evento a melhor de suas edições.

Mas foi a conexão entre os participantes com os palestrantes, a cumplicidade entre todos de falar abertamente e a confiança de que todos estavam ali por um objetivo em comum que elevou o Redes WeGov a um nível mais que especial. E que deixou, em mim, uma marca inesquecível.

Obrigada a todos e todas que estiveram conosco, compartilhando essa experiência, nos dias 25 e 26 de abril de 2019, em Florianópolis <3

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

O 8º Redes WeGov aconteceu nos dias 25 e 26 de Abril de 2019

Primeiramente, gostaria de compartilhar que não atuo na área de comunicação social da minha instituição pública. Apesar de ser fotógrafo com DRT e tudo, minha área na administração pública é outra.

Mas então, o que uma pessoa que não atua na comunicação governamental estava fazendo no Redes Wegov? Bom, por isso que o evento tem esse nome… redes. “Nenhum homem é uma ilha”, já dizia John Donne, poeta inglês e pastor anglicano que viveu boa parte da sua vida na pobreza. E assim, navegando na onda da inovação, fui “queridamente” convidado a participar do evento.


Então, e onde entram os milagres?

Se você estava lá, presenciou a palestra de uma pessoa que viveu um milagre. O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, contou com detalhes o ocorrido no final de novembro de 2016 referente ao acidente com o avião da equipe da Chapecoense. Ele participou ativamente das homenagens e repatriação das vítimas desse desastre aéreo. Sim, Buligon viveu o milagre de não ter ido para Medellin por conta das várias mensagens de sua esposa Lucia pedindo para que ele não viajasse.

Prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, conta como foi lidar com a comunicação da tragédia da Chapecoense.

Depois dessa avalanche de emoções, vivenciamos as tendências do twitter, a rede social mais utilizada por governantes devido a sua credibilidade e alcance. Fernando Gallo foi o responsável por nos apresentar os milagres que produzem um tweet. Passando ao TSE, Rakell, que já é figurinha carimbada do Redes, deu-nos um panorama entre expectativa versus realidade nos bastidores das eleições de 2018. E que bastidores…

Turbinados pelos milagrosos cases, passamos pela feira onde pudemos efetivamente “beber” de iniciativas concretas na área da comunicação governamental que deram show.

Segundo dia de “milagres”

Já no outro dia, mais milagres. Afinal, quem melhor do que um padre para nos mostrar o dia -a-dia da comunicação do Papa e do Vaticano? Padre Arnaldo Rodrigues nos deu uma aula de carisma com as mídias sociais do Papa Francisco e a transformação do setor de comunicação da Santa Sé, com a fusão e modernização dos que fazem a divulgação da centenária Igreja Católica.

A Ana Guerrini, da 99, nos mostrou as novas tendências da mobilidade urbana, traçando um paralelo com as políticas públicas e o “milagre” do compartilhamento de automóveis. Depois do coffee, o Facebook marcou presença com a apresentação do Workplace e a nova era da comunicação no setor público. O Adriano foi quem nos contou como essa ferramenta pode ser útil e milagrosa para nossas instituições.

Os Milagres do 8º Redes WeGov

Os milagres que não são milagres foram assunto da Bárbara Libório, que passeou pelas “Fake News”, principalmente aquelas veiculadas nas mídias sociais em 2018, ano da eleição presidencial. Nem tudo que reluz é ouro… Por fim, a Marília, do MPSP, tratou de apresentar o combate a violência contra mulheres comunicando com igualdade. Quanta coragem!

E assim foi o “Redes” desse ano. Teve prefeito, padre e Papa. Medellin, mobilidade e movimento. Teve Facebook, Fake News e Francisco. Twitter, TSE e transporte urbano…

?

E no final, compartilhamos vidas, verdades e velas; relatos, religião e retórica; momentos, movimentos e milagres. Milagre das redes, Milagres do Redes Wegov. 

WeGov
Posted on

Cases selecionados para o 8º Redes WeGov

A inovação no setor público tem o poder de causar impacto em escala e transformar a vida dos cidadãos. E, mesmo com o desafio que sempre vem junto da prática de inovar, muitos times buscam inspiração para criar projetos e iniciativas dentro de suas instituições. Por isso, iluminar as boas práticas é essencial! O setor público tem acolhido cada vez mais ações incríveis, que têm gerado resultados poderosos e impactado de muitas formas a gestão pública no Brasil.
Pensando nisso, no começo deste ano lançamos uma chamada para inscrição de projetos na Feira de Cases do 8º Redes WeGov, evento dedicado à comunicação e tecnologia no setor público.

No Redes, teremos um espaço para profissionais do setor público compartilharem histórias, práticas e experiências de sucesso relacionados à comunicação, tecnologia ou inovação em suas instituições. No total, foram 26 projetos do Brasil inteiro inscritos para a Feira de Cases do 8º Redes WeGov, dos quais 10 foram selecionados para apresentar suas iniciativas. Entre os 10, há representantes dos três poderes em todas as esferas de governo, contemplando 5 estados brasileiros além de órgãos nacionais.

Vamos conhecer um pouco mais sobre cada um deles pra ter um gostinho do que será a feira do 8º Redes?

Os cases

1 – A AGU Advocacia-Geral da União criou a iniciativa “Conversa com a AGU”, com o intuito de trazer às notícias de teor jurídico um tom mais acessível e prático para o cidadão. O projeto consiste em vídeos curtos, de um a dois minutos, que são gravados no formato de selfie e divulgados nas redes sociais do órgão falando sobre as iniciativas da AGU. Eles têm tido uma boa aceitação do público e conseguiram criar uma proximidade e conscientização maior com relação à atuação do órgão em temas que são vistos como complexos.

2 – A Agência Nacional de Águas (ANA) resolveu comemorar o Dia Mundial da Água de 2019 promovendo a conscientização da sociedade sobre o cuidado com esse recurso. Junto com a “Banda do Seu Pereira”, a ANA incentivou os seus seguidores a produzirem conteúdos dos mais diversos (desenhos, vídeos, músicas…) para a campanha #AÁguaÉUmaSó. A ideia era mostrar para as redes das formas mais diversas possíveis, que todos somos diretamente responsáveis pelo destino das águas no Brasil.

3 – A Assembleia Legislativa Do Paraná teve a ideia de criar o aplicativo “Agora é Lei no Paraná”, com o intuito de democratizar o acesso às leis estaduais e de interesse do consumidor! O app conta com mais de 270 leis, apresentadas por meio de ilustrações e descritivos simples. Cada vez mais pessoas estão usando essa ferramenta que tem aproximado muito a ALEP dos cidadãos paranaenses.

Feira de Cases 8º Redes WeGov

4 – A Prefeitura de Balneário Camboriú inovou com o “Digital PMBC”, um sistema de monitoramento que acompanha em tempo real todas as menções à prefeitura da cidade, as filtra e classifica, gerando relatórios semanais. O projeto tem sido utilizado na tomada de decisão por parte da administração municipal e ajudado a melhorar as estratégias de comunicação da cidade e a capacidade de resposta em tempo real.

5 – O projeto selecionado da Justiça Federal no RN, foi a campanha “Doar Sangue é gesto de amor, ato pela vida”. Com diversas ações focadas em conscientizar sobre a importância de doar sangue, a ação engajou um grande número de colaboradores da instituição e público externo, impactando diretamente mais de 2.000 pessoas com as doações! Não havia a cultura de doadores de sangue entre os servidores da JFRN e a campanha conseguiu, além das doações no período específico, gerar o interesse de outros potenciais doadores.

6 – Já o Governo do Rio Grande do Sul, fez uma campanha de engajamento para doação de sangue que viralizou nas redes sociais. Usando referências da cultura pop e com muito humor, a ideia era mostrar que várias coisas no dia a dia são bem mais dolorosas que doar sangue. Através dessa abordagem super leve, a campanha foi compartilhada a ponto de alcançar mais de 5 milhões de pessoas apenas pelo post oficial, fora os reposts feitos por páginas de grande alcance no Facebook.

Feira de Cases 8º Redes WeGov

7 – A Prefeitura de Palhoça também estará apresentando seu projeto de sucesso! Com a implementação de uma plataforma de gestão pública, a prefeitura digitalizou seus processos internos, o que possibilitou, além de otimizar a rotina de mais de 1.200 colaboradores e economizar cerca de R$180.000,00, poupar o equivalente a 83 árvores ao dia.

8 – Partindo da ideia de valorizar e reconhecer mais os seus servidores e humanizar a instituição perante a sociedade, o Tribunal de Contas do Mato Grosso criou o “Além do olhar: Relatos e trajetórias dos servidores e colaboradores do Tribunal de Contas de Mato Grosso”. A ideia de escrever perfis dos servidores e colaboradores do TCE de Mato Grosso ganhou campanhas nas mídias sociais e, posteriormente, tornou-se um livro digital, que teve mais de 300 downloads!

9 – Para mobilizar o eleitor a fazer o recadastramento biométrico em Belém do Pará, a Assessoria de Comunicação do Tribunal Regional Eleitoral do Pará desenvolveu vídeos institucionais com personagens emblemáticos (Homem Aranha, Mulher Maravilha, Mascotes dos principais times de futebol) e personalidades regionais. No roteiro, os personagens passavam pelo recadastramento, mostrando que o processo era rápido, simples e essencial.

Feira de Cases 8º Redes WeGov

10 – Já o Tribunal de Contas da União – TCU criou o Zello, o Chatbot do TCU! O Zello é um robô com inteligência artificial que fica no Twitter, com o objetivo de facilitar o contato entre os cidadãos e o órgão de prestação de contas auxiliando o acesso à lista de candidatos com contas declaradas como irregulares. A ideia é aproximar o eleitor de informações que podem ser de difícil acesso e aumentar a transparência da campanha eleitoral.

Sobre a feira

Os 10 projetos serão avaliados pelo público do evento e os seis mais votados serão anunciados como finalistas ao final do dia 25. O time da WeGov irá escolher os três primeiros colocados, que serão anunciados no final do evento, no dia 26/04.

Cada case de sucesso tem muito mais a compartilhar sobre comunicação, inovação ou uso de tecnologia no setor público! Para a WeGov, é muito gratificante ver tanta coisa boa acontecendo e ter a oportunidade de facilitar esse contato entre quem precisa de inspiração e quem tem experiências bem sucedidas.

Para mais informações sobre o 8º Redes WeGov e inscrições: http://bit.ly/8-Redes

Por WeGov

Somos um espaço de aprendizado para fazer acontecer a inovação no setor público.

Priscilla de Sena
Posted on

Emissor, receptor, resistência e persuasão

Você já ouviu alguma história dessas: uma página fez um post que estão todos odiando. Você ouve o rumor, vai lá olhar e pensa “que ideia absurda foi essa?”

Crises desse tipo têm se tornado cada vez mais comuns. Seja em redes sociais de órgãos públicos ou empresas privadas.

Verdade seja dita: o mundo é cruel e a Internet virou palco gratuito de humilhação. Quer seja para o bullying, quer seja para a revogação de direitos, ou para exigir que algo nunca mais aconteça.

Aprendendo com os erros?

Estamos mesmo aprendendo com os erros? E com os erros dos outros?

Passei um ano da minha vida observando crises desse tipo. Acompanhei algumas desde o início até se tornarem matérias de blogs e jornais. E o que eu vi foi um conflito que cresce como bola de neve, mas que inicia com poucas pessoas. No começo, é simples, depois, o poder é da massa.

Enquanto pequeno, trata-se de uma discrepância de dois tipos de pensamento: do emissor e do receptor. Essa diferença converge em resistência à persuasão.

Dentre diversos autores que estudam a recepção, Fransen, Smit e Verlegh (2015) têm uma proposta esclarecedora sobre as reações negativas à publicidade.

1. O receptor sente sua liberdade ameaçada;

Aquele que sente sua liberdade ameaçada – por exemplo, um anúncio de pedido de doação que causa culpa – vai querer preservar sua autonomia muito mais que antes. Por isso ele vai usar estratégias de contestação (os famosos comentários de reclamações) ou de empoderamento (reclamando do post para os amigos).

2. Ele tem medo de ser enganado;

Já o medo de ser enganado é efeito colateral do excesso de publicidade nesse mundo atolado de informação. Quanto mais propagandas o usuário já viu, mais ele reconhece as técnicas utilizadas. Acende-se uma suspeita no receptor que julga o anúncio “manipulador”. Nessas horas, chovem comentários. E cada um se torna uma nova denúncia para os desavisados, que tomam consciência de que aquilo é uma propaganda, mesmo que estivessem dispostos a suspender a descrença.

3. É resistente a mudanças.

Por último, a inércia, é quando o receptor é resistente a mudanças. Se esse for o motivo para as reações negativas, elas aparecem como processamentos enviesados. Geralmente uma distorção da mensagem é apresentada nos comentários. Alguns aspectos são salientados com exagero e o público vê o que quer ver.

Mimimi: Reações negativas à publicidade em redes sociais

Em vez de atirar a primeira pedra, vamos praticar um pouco de empatia com os atores envolvidos?

Priscilla Louzada de Sena é autora do livro Mimimi: reações negativas à publicidade nas redes sociais, disponível na Amazon. Mimimi: Reações negativas à publicidade em redes sociais

Ana Camerano
Posted on

Conheça um caso premiado pelo Redes WeGov

No post anterior nós conhecemos melhor sobre o caso Emendas Participativas 2017, do Deputado Federal JHC de Alagoas.
Hoje, nós vamos saber mais sobre o caso #VemProTST. Fizemos algumas perguntas para a Patrícia Resende, Secretária de Comunicação Social no Tribunal Superior do Trabalho, que foi uma das responsáveis pelo projeto e representante no 7º Redes WeGov.
Acompanhe as respostas dela e conheça mais sobre o #VemProTst!

(WeGov) Como surgiu a ideia de criar esse projeto?

(Patrícia) Desde que lançamos o canal do TST no Youtube, tentamos oferecer conteúdos que sejam relevantes para o público que nos acompanha. Um dos temas que estavam em nossa pauta de divulgação em 2017 era o concurso público para servidores do TST.Decidimos aproveitar o certame para produzir vídeos com conteúdo que interessasse aos candidatos, ampliando a audiência do nosso canal.
Em nossas reuniões de planejamento lembramos que mapas mentais são muito utilizados pelos chamados “concurseiros”. Daí tivemos a ideia de fazer os vídeos sobre o Regimento Interno de forma que resultassem nesses mapas. A grande novidade foi fazer um pdf também da cena final (mapa mental), deixando-o disponível na legenda para quem quisesse imprimir e estudar depois.

(WeGov) Qual a dor que esse projeto soluciona?

(Patrícia) O projeto facilitou o estudo de muitas pessoas, que não necessariamente podem pagar por aulas em cursinhos ou por mapas mentais. Além disso, ajudou a divulgar a atuação do TST, uma vez que atribuições e funcionamento estão descritos no Regimento Interno, disciplina abordada no vídeo.

(WeGov) Quais foram os desafios para levar o projeto adiante?

(Patrícia) Tivemos o cuidado de revisar todos os conteúdos com servidores da Comissão de Regimento Interno para evitar erros. Também tivemos que conciliar o projeto com nossas atividades diárias, principalmente no que diz respeito à produção audiovisual, hoje fortemente concentrada na edição de reportagens e programas para a TV Justiça.

(WeGov) O que vocês esperam para o projeto após ganhar o prêmio?

(Patrícia) Pretendemos seguir buscando formas inovadoras de oferecer conteúdo útil no Youtube e outras redes sociais. Há muita gente buscando informação sobre os direitos trabalhistas.

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

WeGov
Posted on

O case foi o grande vencedor do Prêmio Redes WeGov

Em um post anterior, comentamos sobre os grandes vencedores do prêmio Redes WeGov. Para conhecermos mais sobre cada um desses cases, convidamos a jornalista Naara Normande, uma das envolvidas no projeto – para nos contar sobre o grande vencedor do prêmio: o projeto Emendas Participativas 2017 do Deputado Federal JHC de Alagoas.

Conheça o Emendas Participativas 2017

Texto escrito por Naara Normande

Aproximar as pessoas e torná-las protagonistas da esfera legislativa federal. Esse foi o grande objetivo do projeto Emendas Participativas, uma plataforma de votação online para que a população de Alagoas decidisse o destino das emendas parlamentares de um Deputado Federal no estado.
O projeto rompeu com os vícios tradicionais da destinação de emendas e colocou a decisão para os cidadãos, afinal, ninguém melhor que as pessoas para decidirem quais as maiores dificuldades enfrentadas nos serviços públicos de suas cidades.
O primeiro desafio foi sensibilizar o parlamentar e a equipe sobre a relevância desse projeto. Essa abertura de espaço para decisão coletiva de R$ 2 milhões envolveu uma mudança no ecossistema e causou estranhamento em muita gente acostumada com as articulações políticas na destinação desses recursos.
O segundo e maior desafio foi fazer com que os alagoanos acreditassem no projeto e entendessem que a quantidade de votos nas áreas (saúde, infraestrutura, esporte e infância), ações e cidades seriam os únicos elementos definidores para a destinação dos recursos.
Em resumo, que o poder estava nas mãos da população e não exclusivamente do político. Há uma enorme descrença no processo político e, por isso, nossa comunicação apostou todas as fichas no Engajamento. Mobilizamos pessoas que poderiam ser agentes multiplicadores em seus grupos (família, amigos, colegas de trabalho) para dizer “Pode confiar. É uma iniciativa séria” e estimulamos que elas replicassem a ideia. Mesmo com tanta incerteza desse meio, 5.135 alagoanos participaram e deram o voto de confiança ao projeto.

Fique por dentro

Acompanhe nossas redes sociais e conheça outros projetos inovadores como este!

Por WeGov

Somos um espaço de aprendizado para fazer acontecer a inovação no setor público.

Ana Camerano
Posted on

A sétima edição aconteceu nos dias 23 e 24 de abril de 2018

Em 2017, a sexta edição do Redes deixou grandes expectativas sobre o que viria a ser a sétima edição do evento. Um ano se passou, e a WeGov trabalhou muito para renovar este evento incrível, para que em 2018 ele conseguisse ser ainda mais completo e inovador!
Acompanhe o post para conferir como foi o resultado disso tudo!

Novo nome, novo formato

Para começar, o evento Redes-Egov passa a se chamar agora Redes WeGov. O novo nome trouxe consigo também um novo formato de evento, que contou com novas atividades como os painéis interativos e a feira de cases, que terminou em premiação para os 3 cases de instituições públicas mais votados!
A feira contou com os stands da WeGov, das startups 1DOC e SocialBase, e com a presença de 12 instituições Públicas brasileiras apresentando seus cases de comunicação de sucesso. O momento foi de intensa troca de conhecimentos entre os participantes, que puderam aproveitar o momento para conhecer os stands, assim como para conversar com os demais presentes em uma troca de experiências e conhecimentos valiosa!
Boatos de que, para 2019, essa feira vai ser ainda maior. Fique de olho!
Redes WeGov

Conteúdos de alto nível

Em termos de conteúdo, o Redes WeGov foi especialmente elaborado para contemplar temas relacionados à Comunicação e Inovação no Setor Público. Para isso, o palco do evento recebeu nomes de alto nível para falar sobre o assunto.
No primeiro dia, contamos com a abertura cultural do grupo Floripa Dazantiga, que introduziu o assunto fazendo uma retrospectiva do tema desde a criação do telégrafo até a dos meios de comunicação atuais.Em seguida, Andre Tamura abriu os trabalhos contando a trajetória do Redes, que já vem conquistando seu espaço desde 2012.
A palestra de abertura ficou nas mãos do secretário da Presidência da República, Wesley Santos, que introduziu o tema com o uso de memes e gifs que trouxeram aos palestrantes a ideia de que as mídias do Governo também são inovadoras e qual a importância desta abordagem para a conquista da atenção e entendimento por parte dos brasileiros.
Redes WeGov
O primeiro painel, o Painel Movimento de Renovação política, foi mediado pela diretora de Negócios da WeGov, Gabriela Tamura, e contou com Natalie Unterstell, Diogo Busse, e Leonardo Sechhi, representantes do movimento RenovaBR, criado em 2017 para preparar pessoas para entrar na política, e serem capazes de renová-la.
O segundo painel, sobre os cases de comunicação do HubGov, contou com a presença do Major Pablo Pereira da PMSC, Ana Patrícia Tancredo do TRE-SC, e Alícia Alão. Os painelistas abordaram o tema da comunicação dentro do programa HubGov, Programa interinstitucional de governos promovido pela WeGov anualmente.
No período da tarde, tivemos o Momento Brainstorm com a WeGover Jéssica Macedo, e, em seguida, os participantes foram liberados para dar um ‘rolezinho na feira de stands’, onde puderam votar nos 3 cases que mais gostassem. O dia finalizou em um happy hour de muita descontração e conexão no terraço da Softplan, com direito a chopp geladinho e um pôr-do-sol maravilhoso.
O segundo dia iniciou com a presença do nosso querido Paulo Azevedo, da ComCultura, que conectou os participantes motivando-os a ver uns nos outros características que não costumamos parar para perceber ou perguntar para pessoas que não conhecemos. Foi divertidíssimo!
Redes WeGov
Letícia Alcântara, do Senado Federal, foi quem deu continuidade à manhã do evento falando sobre as Redes sociais do Senador Romário, trazendo a ideia da importância da presença destas figuras nas redes sociais para o contato com os cidadãos. Em seguida, a WeGover Ana Camerano mediou o Painel da diversidade, que contou com as presenças de Pedro Souza, da Todxs e Marcos Lindenmayer, do CGU. Os três abordaram de forma muito bacana o papel importantíssimo desempenhado pelo gênero na comunicação em todos seus níveis.
À tarde, iniciamos com Raquel Costa, do TSE, falando sobre as Eleições 2018 e respondendo perguntas dos participantes em relação à este grande tema. Em seguida, Jéssica Macedo conduziu o Painel Randômico, que contou com a subida no palco dos próprios participantes para colaborar com os temas trazidos. E ainda pudemos contar com a visita do Rogério Rangel, da FINEP, para palestrar sobre o governo do futuro, em sua versão ‘Nem maior nem melhor, apenas diferente’.
E, por fim, O momento mais esperado teve lugar ao final do evento, quando o diretor André Tamura anunciou os três cases vencedores da premiação!

Os premiados pelo Redes WeGov

Ficou curioso pra saber quem ganhou a premiação? Os três vencedores do Prêmio 7º Redes WeGov foram:
Em primeiro lugar, o vencedor foi o case ‘Emendas Participativas 2017’, do Dep. Federal JHC, representados pelos queridos Jéssica de Oliveira Alves, Junior Tigre e Naara Lima Normande, que vieram lá de Alagoas para defender seu case de sucesso, e deu super certo!
Em segundo lugar, o vencedor foi o case ‘#vemproTST’, do Tribunal Superior do Trabalho, muito bem representado por Patrícia Resende, que voltou para Brasília muito satisfeita com a premiação!
E em terceiro lugar, ganhou o case ‘Amamenta Brasília – Eu Divido Meu Leite’, da Secretaria da Saúde do Distrito Federal, que orgulhou a representante Érika Bragança ao conquistar o prêmio!
Não é fácil resumir em duas páginas o que foi esse evento, porque o Redes WeGov é mais do que um evento sobre comunicação no setor público. O Redes é um encontro de amigos, de pessoas de todos os cantos do Brasil, de conexões e de compartilhamento de experiências enriquecedoras. É um espaço seguro, feito para o dialógo e para a interação entre comunicadores públicos de todo o Brasil.
Obrigada a todos que fizeram parte desse encontro e, aos que quiserem se juntar, nos vemos no Redes WeGov 2019!
Clique aqui para ver as fotos oficiais do evento.

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

WeGov
Posted on

Prêmio Redes WeGov

Falta uma semana para o Redes WeGov. E “nóis” tá como?

Ansiedade aqui é mato. E para amenizar um pouquinho, vamos ver os cases no páreo do I Prêmio Redes Wegov.

Dá uma olhada agora na lista completa dos concorrentes. Pra ver mais, só indo lá. 😉

MPF “A história de um tuitaço que o meio ambiente agradece”
TST Série #vemproTST
TST Tá Explicado
TJSP TJSP Mobile
MPSP #FalaMP
SF 1 Bilhão de views: como o foco no usuário gera resultados
CSJT Série do CSJT para o Face baseada em Game of Thrones
ALEGO SPI
ASCOM AGU AGU Explica
Dep. Federal JHC Alagoas Emendas Participativas 2017
S. Saúde DF Amamenta Brasília – Eu Divido Meu Leite

Se pá, aparece lá: http://redes.wegov.com.br/

Por WeGov

Somos um espaço de aprendizado para fazer acontecer a inovação no setor público.

Laura Orlandi
Posted on

Num pedacinho de terra, perdido no mar...

“Num pedacinho de terra, perdido no mar…
Num pedacinho de terra, beleza sem par…”
No dia 23 de março, nossa Florianópolix completou 345 aninhos de fundação! Côza mash quirída! E apesar de ser feriado municipal, os WeGovers decidiram dedicar esse dia para bombar os preparativos para o próximo evento que está chegando por aí: o 7º Redes WeGov que acontecerá em Floripa nos dias 23 e 24 de Abril.
Ô ishtepô, mas tais sabendo por que o Redes acontece em Floripa?
Florianópolis está classificada em primeiro lugar entre as dez cidades brasileiras com maior potencial inovador e o terceiro lugar entre as 50 cidades que mais apostam em soluções tecnológicas inteligentes no Brasil!  E a capital ainda foi eleita, pelo 3º ano consecutivo, a segunda cidade mais empreendedora do país, segundo o Índice de Cidades Empreendedoras – ICE 2017. Arrombasse, Floripa!
Mais de 30 anos de investimento em tecnologia e conhecimento colaborativo transformaram a cidade em referência quando se fala em inovação, ainda mais por fomentar iniciativas públicas – sendo a primeira delas a implantação da Universidade Federal de Santa Catarina e, posteriormente, da Fundação Certi – e privadas – com a criação da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate) em 1986 e, posteriormente, de empresas e startups que atuam na área.
O ecossistema de inovação que se desenvolveu no estado não só incentiva a criação de empresas daqui, mas traz outras de fora. Ó-lhó-lhó, hoje são 900 empresas na área de tecnologia na Grande Florianópolis, sendo um terço delas Startups! Projetos como o Startup SC, do Sebrae SC, trabalham para desenvolver e promover empreendimentos inovadores em todo o estado. Santa Catarina perde apenas para São Paulo em número de Startups que comporta, e finalizou 2017 classificada como a cidade com mais Startups por metro quadrado no Brasil, uma delas a nossa querida WeGovÔshi!
A partir de um projeto cocriativo de branding territorial implementado pelo Centro Sapiens, foi mapeada uma Rota da Inovação em Florianópolis. Foi esse projeto que permitiu a identificação do DNA da Floripa Inteligente: Colaborativa, Criativa, Sustentável, Inspiradora, Globalizada. Côza quirída!
Pois então, mô quiridu, precisa dizer mais sobre porque o melhor evento sobre comunicação digital no setor público acontece aqui? O Redes WeGov é um evento da WeGov pensado para agentes públicos e estudiosos da administração pública que reconhecem a importância da utilização das redes sociais na melhoria do relacionamento e prestação de serviços ao cidadão, como forma de viabilizar a transparência na gestão pública.
Sendo realizado desde 2012, na edição de 2018 o nosso quirido Redes está chegando com palestrantes de alto nível, participantes de todo o Brasil, todos unidos um só objetivo: transformar a comunicação no setor público brasileiro!


Inscreva-se!

Tá i tu vash no evento ou mofas com a pomba na balaia? Ô ishtepô, clica nesse link aqui que em dois toques tu tá participando da 7º edição desse evento incrível! Chega másh, quirídu!
Arrombassi, Laila!

WeGov
Posted on

"Eu tenho 3 milhões de seguidores!" E daí?

Parece algo quase intangível trazer para a realidade do setor público todos os ensinamentos do marketing digital pensado em negócios, em mercado privado, em compra e venda. De fato, não faz muito sentido tentar se adequar às estratégias de algo essencialmente diferente. Os objetivos são outros.

Não sabendo como fazer, comumente os responsáveis pelo digital das instituições públicas ficam sucetíveis a acreditar em métricas vazias, como se aquelas fossem as únicas possíveis para sua realidade. Conhecidos por métricas de vaidade, são números bonitos de se ver. Sobre os quais enchemos a boca para falar: “eu tenho 3 milhões de seguidores”.

É válido refletir se são estes números os importantes. No geral, não. Isto não significa desprezá-los, porém não devem ser vistos sozinhos. Total de seguidores, total de alcance, número de views: números muito atraentes podem tirar você do foco do que é de fato relevante.

A máxima é a mesma, seja setor público, seja setor privado: qual o seu objetivo nas redes sociais? Para cada publicação, campanha, modelo de atuação, uma estratégia deve ser pensada e isto precisa estar relacionado aos objetivos institucionais. Só assim será possível perceber se os resultados estão dentro do esperado.

Engane-se quem acredita ser uma questão material. “Ah, mas aqui não tem como contratar ferramentas”. Não são as ferramentas que te farão enxergar os números de forma inteligente. Os dados fornecidos pelas próprias plataformas de redes sociais já são suficientes. É o modo como você cruza os dados com as estratégias quem irá validar ou não o seu trabalho nas redes sociais.

A depender da sua estratégia, é melhor olhar para outros índices como: conversão para a página de notícias, quantidade e qualidade dos comentários, engajamento, compartilhamentos (…). Mas eles também não devem ser vistos sozinhos. Avalie se seu investimento em publicidade, por exemplo, está dando o retorno esperado: quanto se investe X alcance X cliques na publicação. Existem centenas de formas de olhar com mais atenção para suas métricas.

Já falamos um pouco sobre isso em um webinar esta semana. Mas este é um assunto que rende muita conversa.

Que tal conversarmos mais sobre as métricas do setor público durante o 7º Redes WeGov? Espero você lá!

Por WeGov

Somos um espaço de aprendizado para fazer acontecer a inovação no setor público.

Gabriela Tamura
Posted on

Redes-eGov entra na sua sétima edição

Sete anos é um período que possui várias crenças populares místicas. Como por exemplo: quebrar o espelho dá sete anos de azar, que as relações sofrem uma crise a cada sete anos e outras.
Isto ocorre porque o número sete é um número místico em quase todas as culturas conhecidas. Existe até uma teoria sobre isso chamada teoria de setênios do filósofo Rudolf Steiner. Dentro desta linha de pensamento há a ideia de ver a vida de forma cíclica, a partir da observação dos ritmos da natureza, divididos em fases de sete anos. Algo como: de 7 em 7 anos sua vida muda completamente. Você lembra onde você estava há sete anos, com quem, fazendo o que? Mudou muito desde então?
A minha vida transformou-se completamente. Formei em Administração Pública em 2010 e trabalhei como consultora na gestão pública, algo que mantinha o governo do jeito que estava, com pequenas sugestões de melhoria, mas nada muito inovador. Em paralelo iniciei um freela para gerenciar as redes sociais de alguns políticos. Senti muita dificuldade em fazer um trabalho de qualidade e procurei capacitações na área de social media, mas não existia nada direcionado para o setor público.
Por ser uma dor que enfrentei desde a faculdade (sempre tínhamos que converter os ensinamentos para a realidade governamental) criei o 1º Seminário Nacional sobre o uso de redes sociais e governo eletrônico do setor público através da empresa da minha tia. Agora, em 2018, o evento está entrando na sétima edição.
Lembro que, em 2012, tínhamos muitos interessados e poucos cases. Eu costumo dizer que o primeiro evento foi um fracasso de sucesso. Fracasso, pois não consegui chegar ao objetivo de saber mais sobre como lidar com a comunicação pública digital. Sucesso pois foi a partir de então que começamos a construir nossa comunidade que hoje já conta com quase cinco mil “Social Media Gov” – termo criado por nós da WeGov para nomear estes novos profissionais que surgiram em decorrência da era virtual.
Na segunda edição, em 2013, pedi as contas da empresa de consultoria para me dedicar integralmente a esse novo mundo que eu não conhecia muito, mas já vislumbrava um futuro instigante. Os próprios participantes trouxeram cases para apresentar, ganhei a ajuda do meu atual sócio e marido André Tamura, que saiu de seu emprego e começou a empreender comigo.
A programação ganhou mais força assim como o evento que teve seu nome resumido: Redes-eGov (nome dado por Thiago Tamura – meu cunhado – que sempre que via algo novo e tech chamava de Redes-eGov, para dizer que não entendia muito do que se tratava, algo meio jocoso até rs). E não é que fez sentido?
Na terceira edição decidimos levar o evento para Brasília. Lá fomos eu e o André cheios de materiais e sonhos ao som de Renato Russo – meu grande ídolo: “estou indo pra Brasília, neste país lugar melhor não há…
O evento ficou no cerrado em 2014, 2015 e 2016, mas em 2017 resolvemos trazê-lo de volta para “ilha do silício” – Floripa e em 2018, seguirá aqui.
Temos poucos registros das primeiras edições, pois as fizemos sem empresa, sem site, mais na raça e como um protótipo. A partir da quarta criamos nossa empresa – a WeGov – e aí sim começamos a documentar, confira:

De lá para cá o evento já está na agenda da maioria dos profissionais de comunicação das instituições públicas e nesta lista como um dos principais eventos de tecnologia do Brasil ao lado de Campus Party e RD Summit.
O evento ganhou um reforço com uma equipe maravilhosa de WeGovers, atualmente estamos em 12, e eles trouxeram muitas boas ideias.
Como o evento vai para sua sétima edição decidimos dar uma repaginada, vai que dá azar não considerar a teoria de setênios. Teremos uma feira de cases, premiação, startups, espaço virtual próprio e dinâmicas interativas mais legais do que nunca. Sem contar o nome que deu uma evoluída: deixamos de falar de governo eletrônico há anos e não poderíamos manter o e-Gov, por isso fez todo sentido mudarmos para Redes-WeGov 🙂
E aí, você vem conferir toda essa transformação com a gente?

Dados

Participantes: Aproximadamente 1000 participantes desde sua primeira edição;
Palestrantes: 120 sendo que a maioria do próprio setor público;
Comunidade no facebook: 660 pessoas
Grupo no Whatsapp:174
Público-alvo: agentes públicos que trabalham nas áreas de comunicação, tecnologia e ouvidoria, agências de publicidade que cuidam das contas de governo e empresas que se relacionam com setor público.
Assista o vídeo do evento:

[youtube=https://youtu.be/U_Y9BlKvif8&w=720&h=400]


Redes WeGov 7ª Edição

Te esperamos nos dias 23 e 24 de abril de 2018 para a 7ª edição do Redes WeGov. Para se inscrever, basta acessar este link!

Por Gabriela Tamura

Fundadora e Diretora de Negócios da WeGov. Administradora Pública graduada pela Universidade do Estado de Santa Catarina, Pós-graduada em Gestão Pública pela Universidade Aberta do Brasil. Resiliente de plantão começou seu relacionamento com o setor público há 12 anos. Conhece bem a realidade do governo e resolveu ajudar.
Foi agraciada com a medalha do Exército Brasileiro em função dos serviços prestados à Nação pela WeGov.