Redes 10 Considerado o melhor evento sobre o uso de redes sociais e tecnologias por órgãos públicos. Fique por dentro
Ana Camerano
Posted on

No dia 10 de Outubro de 2017, A WeGov visitou o laboratório de inovação da Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina.

O HubGov 2017 encerrou há pouco mais de um mês, mas o trabalho e a construção prática das soluções desenvolvidas no programa seguem a todo vapor!
Com clima de continuidade, as 13 instituições públicas que participaram do programa e apresentaram sua proposta de solução batalham pela implementação da mesma, superando os desafios e obstáculos muitas vezes enfrentado no setor público.
Sob esse contexto, a WeGov fez uma visita a convite do Coronel Luis Haroldo, da Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina, para visitar o recém-criado Laboratório de Inovação.
Definido desde o começo do HubGov, o desafio de montar o laboratório pautou as reuniões entre a equipe da SSP e a mentoria com Fabiana Ruas, Diretora do Centro de Pesquisa e Inovação do Tribunal de Contas da União.
SSP
O intuito do Laboratório é o de criar uma cultura de inovação em Segurança Pública, aproximando os setores e engajando as diversas diretorias da Secretaria. Ainda que o espaço não esteja completamente equipado, a equipe da SSP busca já criar uma rotina de trabalho dentro do laboratório, arquitetando o ambiente físico e trabalhando pela sua inauguração ainda este ano.
Durante a visita, os integrantes da SSP do HubGov apresentaram a trajetória de construção do laboratório, os desafios futuros e a importância da participação externa. O projeto contou com parceiros relevantes para sua criação, como a própria WeGov, o Social Good Brasil, o Tribunal de Contas da União e o Cocreation Lab.


HubGov 2018

Estamos há poucos meses do lançamento do HubGov 2018. Na edição do próximo ano, as atividades acontecerão simultaneamente em três estados federais, cada um enviando 8 instituições participantes. E a sua instituição pode ser uma delas! Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

Ana Camerano
Posted on

A nossa WeGover Carolina Rossetto esteve presente.

A WeGov foi convidada a participar da II Semana Acadêmica do curso de Administração Pública da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), que teve início no dia 25 de Setembro.
Debates, rodas de conversa, oficinas, workshops e palestras foram oferecidas a todos os estudantes do curso, com a opção de transmissão simultânea para àqueles que não poderiam comparecer. Com foco em instituições e na administração pública em si, a WeGov esteve presente em meio a atores renomados e qualificados da área. Egressa do curso, a WeGover Carolina Rossetto apresentou o nosso caso de inovação: O Programa HubGov 2017.
Carolina conversou com os alunos sobre o papel da inovação na esfera pública e como é possível inovar dentro de um setor que, por muitas vezes, se mostra lento e burocratizado.

As pessoas associam inovação com super tecnologias nunca vistas antes e que mudam para sempre a vida das pessoas. Também pode ser, mas inovação não é só isso. O simples fato de mudarmos uma cultura, mudarmos a forma de executar um serviço, de atender uma pessoa, é inovação! Se você estiver impactando de forma positiva a vida dela, você está inovando! E os governos também podem fazer, sem ter que reinventar a roda. Aprimorar um serviço prestado ou produto, e melhorar a vida dos cidadãos, é ser inovador! O governo também tem essa capacidade, o que falta é perceber que o processo é simples e ter pessoas engajadas para fazer a transformação acontecer.

Mônica Duarte, estudante do curso de Administração Pública e parte da comissão organizadora, acredita na semana acadêmica como o início de uma cultura de inovação, um aprendizado em diversos temas e disseminadora de novos conteúdos aos alunos.

Nesta edição, buscamos trazer o maior número de egressos para falar sobre os caminhos trilhados após a universidade. Convidamos a WeGov especialmente pela Gabriela Tamura e pela Carolina Rossetto, pois ambas são egressas do curso de administração pública. E, claro, pela WeGov ser uma empresa de inovação no setor público, o que acaba trazendo novos olhares aos estudantes do curso.

Para enriquecer a conversa com os alunos, convidamos o vencedor do título de HubGover modelo, Rhuan Bittencourt, para compartilhar sua experiência dentro do programa. Integrante da equipe do CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina) no HubGov, Rhuan falou sobre a importância de gerar inovadores públicos, do poder colaborativo entre as instituições e como é possível aplicar boas ideias dentro do serviço público.
Foi um prazer participar! Em breve esses estudantes estarão ocupando cargos públicos e empreendendo as mudanças necessárias! Contem sempre conosco!


Mais Informações

Siga a WeGov nas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece sobre inovação no setor público!

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

Ana Camerano
Posted on

Entrevistamos os vencedores dos prêmios do HubGov 2017.

O encerramento do HubGov, que aconteceu no dia 01 de Setembro de 2017, coroou a jornada de seis meses de duração do programa. Durante esse tempo, 14 instituições estiveram presentes trabalhando arduamente, em colaboração e cooperação entre si. Ao todo, foram 55 servidores públicos participantes, em busca de uma solução aplicável ao seu desafio institucional. De fato, não foi fácil, e o caminho não foi conquistado sem obstáculos.
O desenvolvimento de novas habilidades, a superação de desafios e um novo olhar para a inovação no setor público foram características perceptíveis em cada um de nossos hubgovers (como chamamos carinhosamente os participantes do programa), e que acabaram refletindo na própria instituição a que representavam.
O encerramento, além de ter sido o evento final para a apresentação das soluções desenvolvidas, cumpriu o papel de homenagear o desempenho e a dedicação de todos os servidores e instituições participantes. Contamos, ainda, com um momento de premiação para os destaques individuais e institucionais do programa.

Categorias de premiação

Elencamos as categorias de premiação e seus ganhadores:
Maior participação individual – Larissa Garcia Martins (ALESC).
Maior desenvolvimento individual durante o programa – Frederico Tadeu da Silva (SES-SC).
HubGover modelo – Rhuan Bittencourt (CREA-SC).
Maior participação institucional – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina (CREA-SC).
Maior desenvolvimento institucional durante o programa – Secretaria do Estado do Desenvolvimento Sustentável (SDS-SC).
Melhor proposta de solução – Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC).

Entrevista com premiados

Dentre os vencedores, entrevistamos o Frederico Tadeu, ganhador do prêmio ”Maior desenvolvimento durante o programa” e a equipe do Tribunal Regional Eleitoral, que ganhou o prêmio ”Melhor solução desenvolvida” e que foi votada ao vivo durante o encerramento.


Frederico Tadeu da Silva

Qual foi a transformação que você sentiu após o HubGov?

Acredito que a maior transformação foi pessoal. O aprendizado com os colegas por meio das oficinas e palestras me transformou em um profissional melhor, em uma pessoa melhor. Aprendi a ser mais colaborativo, auxiliando em alguns momentos e receptivo às ideias dos colegas em outros. Além do aprendizado técnico, a rede pessoal me transformou positivamente, me encorajando a acreditar que os projetos e ideias inovadoras podem dar certo!

Quem é o Fred depois do HubGov?

Sou um Fred mais encorajado aos desafios. Desde os menores, até os mais complexos. Quero continuar sendo um agente de transformação, e agora, de inovação no serviço público não limitando-me apenas a minha instituição. Acredito mais no meu potencial inovador, nas melhores ideias, na criatividade que sempre me acompanhou desde minha infância. Sou um Fred mais capacitado a lidar com as barreiras que nos fazem crescer ainda mais e a chegar mais longe. Obrigado ao HubGov. Nele, todos os colegas de programa, equipe da WeGov e profissionais que dedicaram seu valioso tempo na transformação de minha vida.


Tribunal Regional Eleitoral – SC

Como foi o processo de criação da solução?

A solução não foi construída, mas apareceu como um insight. Claro que esse insight foi inspirado em tudo o que vivenciamos durante o HubGov, palestras, oficinas e discussões, mas em especial na própria ideia de acreditarmos que a resolução de um problema pode ser mais eficaz quando se aposta no trabalho colaborativo.

Como conseguiram engajar toda a equipe, mesmo os que não participaram do HubGov?

Quanto à equipe da ASCOM do TRE-SC, já é comum trabalharmos de forma integrada e colaborativa. O que fizemos foi manter todos os nossos servidores informados permanentemente sobre o que acontecia no Programa. Quanto às instituições parceiras da rede HubBio, o que mais valeu foi o contato interpessoal, seja nas dependências da Softplan (durante os encontros do HubGov ou no espaço do Coworking) ou através de visitas realizadas em alguns órgãos públicos.


HubBio: a solução vencedora desenvolvida pela equipe do Tribunal Regional Eleitoral-SC.


Mais Informações

O HubGov 2017 acabou, mas o aprendizado não tem fim. Ainda há obstáculos a serem superados, e um novo caminho a ser trilhado na implementação das soluções desenvolvidas. Novos horizontes foram avistados e muitas novidades ainda estão por vir.
Não perca o lançamento do HubGov 2018. Fique de olho em nossas redes sociais e acompanhe as próximas informações!

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

Gabriela Tamura
Posted on

Vanessa Costa e Major Thiago Augusto Vieira discursaram no Encerramento do HubGov 2017.

No dia 1° de Setembro foi realizado o Encerramento do programa HubGov 2017. Durante a cerimônia tivemos o discurso dos oradores Vanessa Costa e Major Thiago Augusto Vieira, da Justiça Federal e Polícia Militar de Santa Catarina, respectivamente.
Ambos foram participantes do programa, juntamente com mais três colegas de sua instituição. Confira abaixo o discurso produzido e proferido por eles no encerramento do HubGov:

Depoimento dos Oradores: Programa HubGov 2017

por Vanessa Costa e Thiago Augusto Vieira

Boa tarde a todos aqui presentes: autoridades, hubgovers, demais colegas servidores públicos e wegovers. Foi com muita honra e satisfação que aceitamos o desafio de falar sobre a experiência de participar do programa HubGov.
E diante desses 6 meses intensos, como resumir tudo o que vivemos? Um processo contínuo de transformação, de compreender que os desafios alimentam o crescimento e a inovação.
Chegamos aqui isolados em nossas ilhas, cada qual com os colegas da própria instituição. E no processo de nos abrir para ouvir, conhecer e colaborar, sentimos alegria e alívio em perceber que não estávamos sozinhos! Que era possível juntar esforços. E ficamos curiosos para ver o que a soma dos nossos talentos era capaz de criar.
Essa foi uma jornada de transformação. Aprendemos e aplicamos uma abordagem de resolução de problemas centrada na pessoa, nas suas necessidades e nas suas dores, com a empatia permeando todo o processo de inovação. Descobrimos novas formas de olhar, de pensar… resgatamos a criatividade adormecida lá na infância e constatamos que um time produtivo também pode ser leve, divertido e criativo.
A colaboração saiu da teoria e veio para a prática. E ao vivenciar esse processo constatamos que sim, colaboração funciona. Dá trabalho, exige paciência, resiliência, construção de consenso, uma certa angústia enquanto o resultado não aparece… Mas quando os insights brotam, é lindo demais! O entusiasmo toma conta e nos surpreendemos com o que somos capazes de criar em conjunto. E vemos o quanto é rico esse encontro do “nós”.
Encontramos o “nós” quando nos conectamos uns com os outros, não apenas por redes sociais ou telas de aparelhos celulares, mas também por meio de um abraço apertado e de um olhar amigo. Permitam que seus olhos encontrem os de outras pessoas ao seu redor. E se perguntem internamente: o que podemos fazer juntos? Lembrem-se que problemas complexos podem necessitar de equipes multidisciplinares, de diferentes conhecimentos, experiências e perspectivas para que soluções sejam construídas.
Essa solução que alimenta a esperança. A esperança que alimenta o fazer. Todo dia podemos fazer de nossas vidas e do serviço público o que TODOS NÓS sonhamos e desejamos. O fazer ou não fazer só depende de nós, continuemos caminhando nessa busca do inovar, de conjugar o verbo “encantar”.
É certo que dificuldades existem e que os desafios são muitos. Mas podemos escolher: focar no que ainda falta ou nos inspirar nas iniciativas que já estão acontecendo no Brasil e no mundo. O processo é gradual, orgânico, mas segue acontecendo. Permitam-se contagiar e sentir revigorar a esperança e a convicção de que é possível! E lembrem-se de que muitas vezes o impossível só existe dentro de nossas cabeças. E que, aliás, como diria Walt Disney: “é divertido fazer o impossível!”
Transpor as barreiras de nossas instituições, formando uma rede para que possamos cada vez mais bem servir o cidadão. Estamos certos que juntos, colaborando e compartilhando experiências, rompemos com o modelo compartimentado, limitado e de transferência de responsabilidades, infelizmente, tão usuais nos serviços públicos.
Para inovar no serviço público, no mundo, é preciso inovar a si mesmo. Transformação dentro, para poder transformar fora. Conseguir olhar o mundo cotidiano de forma diferente, com lentes capazes de ver outras cores.
Que mais do que técnicas, possamos levar em nossas caixas de ferramentas mais empatia, mais amor, mais vontade de compartilhar e colaborar, mais prestatividade, mais iniciativa e autoresponsabilidade.
Hoje é dia de celebrar, honrar os passos do caminho, agradecer a nós hubgovers pelo comprometimento e parceria, às nossas lideranças pelo apoio, aos colegas do trabalho pela ajuda nas instituições enquanto trabalhávamos aqui, a WeGov por ter concebido e apostado nessa ideia e à Vida por ter nos oferecido essa preciosa oportunidade.
Apesar do tom de encerramento, hoje também é dia de iniciar uma nova jornada: o cultivo das sementes que foram lançadas. Sementes essas capazes de fazer brotar um serviço público melhor. Que cada um de nós possa descobrir o que nos torna únicos, o que fazemos de melhor. Que consigamos colocar nossos talentos a serviço, participando, cada um do seu modo, da construção de um mundo melhor, para nós e para as próximas gerações. O Brasil e o mundo precisam disso.


Mais Informações

Acompanhe a WeGov nas redes sociais e fique por dentro das novidades e do lançamento do Próximo HubGov!
Confira: Fotos do ecenrramento.

Por Gabriela Tamura

Fundadora e Diretora de Negócios da WeGov. Administradora Pública graduada pela Universidade do Estado de Santa Catarina, Pós-graduada em Gestão Pública pela Universidade Aberta do Brasil. Resiliente de plantão começou seu relacionamento com o setor público há 12 anos. Conhece bem a realidade do governo e resolveu ajudar.
Foi agraciada com a medalha do Exército Brasileiro em função dos serviços prestados à Nação pela WeGov.

Nathália Rorato
Posted on

Evento aconteceu no dia 01 de Setembro de 2017

Passamos juntos por muitas coisas. Foram 6 meses de aprendizados, de doses diárias de incentivos, de retomar a crença em um setor público mais colaborativo na busca de uma evolução social.
O HubGov terminou. Términos são sempre muito difíceis, mas esse término significa recomeço. Vimos 14 instituições trabalharem juntas por desafios internos que, apesar de distintos, eram semelhantes. Vimos 55 pessoas abertas a conhecer o novo, o outro e a repassar os seus conhecimentos.
Incontáveis horas de dedicação em eventos, oficinas e palestras que perpassavam o nosso campo de atuação, pois no final de cada dia, tudo que era produzido, seria adaptado e implementado imediatamente no cotidiano de cada uma dessas organizações públicas. A transformação das mentes provocando a inovação.

Essa foi uma jornada de transformação. Aprendemos e aplicamos uma abordagem de resolução de problemas centrada na pessoa, nas suas necessidades e nas suas dores, com a empatia permeando todo o processo de inovação. Descobrimos novas formas de olhar, de pensar… resgatamos a criatividade adormecida lá na infância e constatamos que um time produtivo também pode ser leve, divertido e criativo.

Confira o depoimento dos oradores na íntegra.
E no final, só nos restou celebrar!

O encerramento do HubGov

Encerramento Programa HubGov

No dia 01 de Setembro de 2017 foram apresentadas as propostas de soluções dos desafios trabalhados no semestre e brindamos ao desenvolvimento de cada pessoa que passou pelo Programa HubGov. “Formamos” esses profissionais que com certeza terão um trabalho mais significativo daqui para frente.
Os desafios futuros não serão apenas na implementação dessas soluções, mas em replicar a nossa mensagem, a de que é possível inovar em nossos serviços públicos, e a de que existem sempre pessoas que estão em busca desse propósito.
Obrigada HubGovers pelo engajamento e por acreditarem na realização desse programa, aprendemos muito com vocês ao longo desse período. Queremos continuar essa caminhada com todos, celebrando cada passo dado, cada desafio vencido e cada pequena vitória.

Apesar do tom de encerramento, hoje também é dia de iniciar uma nova jornada: o cultivo das sementes que foram lançadas. Sementes essas capazes de fazer brotar um serviço público melhor. Que cada um de nós possa descobrir o que nos torna únicos, o que fazemos de melhor. Que consigamos colocar nossos talentos a serviço, participando, cada um do seu modo, da construção de um mundo melhor, para nós e para as próximas gerações. O Brasil e o mundo precisam disso.

Confira o depoimento dos oradores na íntegra.

E agora WeGov?

E quanto a WeGov? Aqui, términos vão continuar significando recomeços. Estamos prontos para todos os servidores que têm dentro de si o espírito intraempreendedor.
O HubGov continua! Dentro do cotidiano dos nossos HubGovers, e construindo o futuro do setor público! Em breve será lançado o Programa HubGov 2018!
Fique por dentro das notícias da WeGov e não perca o lançamento!

Ana Camerano
Posted on

Publicado em 31 de Agosto no Diário Comércio Indústria & Serviços

por Liliana Lavoratti
O programa HubGov desenvolvido pela startup de inovação na gestão pública WeGov, de Florianópolis (SC), forma amanhã (1) uma turma de 55 servidores públicos, que desenvolveram ao longo dos últimos oito meses soluções para melhorar processos no serviço público.
O programa contou com a participação de representantes de 14 instituições federais, estaduais e municipais de Santa Catarina, como Correios, Justiça Federal, Assembleia Legislativa, Polícia Militar e secretarias de governo, entre outras.
Na visão de Gabriela Tamura, diretora da WeGov, o programa foi pensado e construído ”para que o setor público se mantenha atualizado com as transformações da sociedade e entregue o melhor resultado para o seu cliente, que somos nós, os cidadãos”.
Link para a publicação original.


Mais Informações

Acompanhe a WeGov nas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece em inovação no setor público!

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

Ana Camerano
Posted on

Publicado no dia 28 de Agosto de 2017.

A WeGov saiu na coluna da jornalista Estela Benetti, no Diário Catarinense. O destaque da coluna foi o encerramento do HubGov, o nosso programa interinstitucional.
O evento final acontecerá no dia 01 de Setembro e formará a primeira turma participante do programa!

Link para publicação original.


Mais Informações

Acompanhe a WeGov nas redes sociais!

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

Ana Camerano
Posted on

Foram 8 dias de palestras e oficinas ministradas por diversas instituições públicas.

O HubGov é um programa interinstitucional de inovação realizado pela WeGov, que contou com a participação de 14 instituições públicas de todas as esferas e poderes.
A última atividade do programa, que vem acontecendo desde março, se deu com o Festival de Aprendizado, onde os participantes do HubGov puderam compartilhar seus conhecimentos sobre inovação, gestão e comunicação.
A criação do Festival teve como objetivo evidenciar o serviço público e iluminar os bons projetos. Os HubGovers, como chamamos os participantes do HubGov, tomaram a frente e promoveram a inovação dentro do setor.

Agenda

A agenda do Festival, que durou de 14 a 23 de agosto, foi bastante diversa, trazendo o servidor e a instituição como facilitadores de conhecimento.
Foram realizadas 15 palestras/oficinas ministradas pelas seguintes instituições: Prefeitura de Palhoça, FAPESC, Justiça Federal de Santa Catarina, ALESC, CREA, SEA, Correios, SDS, Secretaria da Fazenda, TRE, Secretaria de Comunicação, SSP, SES e Polícia Militar de Santa Catarina.

Festival de Aprendizado HubGov

O Festival de Aprendizado foi um evento aberto a todo o público, trazendo a interação desde o universo acadêmico até o setor privado, contando inclusive com uma palestra ministrada pela nossa parceira Softplan.
Foram dias intensos mas que enriqueceram o ecossistema público e concluíram assertivamente as atividades do HubGov. O encerramento do programa se dará no dia 01 de Setembro, coroando uma longa jornada de aprendizado através do compartilhamento e da colaboração.


Mais Informações

Temos uma agenda cheia de novidades até o fim do ano. Não conferiu? Então não deixe de acessar a nossa seção de eventos e se inteirar do que vem por aí!

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

Ana Camerano
Posted on

O módulo 3 encerrou a Jornada Design de Processos do programa HubGov.

A Wegov realizou nos dias 07 e 08 de agosto em Florianópolis, a oficina de Design de Processos (módulo 3), sendo parte do Programa HubGov 2017. O módulo 3 encerrou a jornada de Design de Processos, que teve o objetivo de propor soluções aos desafios enfrentados pelas instituições públicas.

Programação

No primeiro momento da oficina foram apresentadas aos participantes técnicas de prototipação e validação de soluções. Com base na abordagem do Design Thinking, os participantes conheceram e praticaram o uso de ferramentas para estimular a criatividade e gerar soluções inovadoras.
design de processos
Em seguida, foi hora de colocar a mão na massa. Nessa etapa, as ideias geradas começaram a ser tangibilizadas, analisadas e verificadas. A prototipação ocorreu por meio de representações em maquetes, apresentações teatrais, telas de aplicativos e por aí vai. O importante era manter a fidelidade na proposta de valor e aprender na construção dos protótipos.
O segundo dia encerrou a oficina com a validação e ensaio do pitch dos protótipos. Cada instituição apresentou sua solução a todo o grupo, que analisou e passou feedbacks ricos para melhorias.

PRÓXIMOS PASSOS

Como já estamos no fim do Programa HubGov, a oficina de Design de Processos serviu para que cada instituição pudesse criar sua solução e aprimorá-la para a apresentação final, que ocorrerá no dia 01 de setembro e contará com a participação dos gestores públicos.
Confira mais das nossas oficinas e eventos aqui.


Mais Informações

Para saber mais como será o encerramento do Programa, não deixe de acompanhar a WeGov nas redes sociais!

Por Ana Camerano

Ana é formada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou no 3º setor como diretora de projetos sociais na cidade de Florianópolis. Tem experiência de voluntariado e estágio em países da América Latina e acredita que temos muito a aprender com os nossos vizinhos. Responsável por parcerias e relacionamento com o cliente, encontrou na WeGov uma maneira de impactar positivamente a sociedade através da co-produção e colaboração no setor público.

Lincon Shigaki
Posted on

Criação e operação

A WeGov realizou nos dias 20 e 21 de julho, em Florianópolis, a oficina Laboratórios de Inovação no setor público.

Um laboratório de inovação no setor público é um espaço que permite a experimentação e co-criação de soluções com múltiplos atores.

O conteúdo narrou um movimento, onde organizações de diversos setores, estão criando espaços de experimentação para fomentar a cultura da inovação e novos projetos. Não se trata de uma ideia nova, mas recentemente tornou-se mais evidente o potencial de reunir governo, academia, cidadãos e empresas na concepção de soluções de interesse público de forma mais efetiva.
A estrutura da oficina foi projetada para que os participantes construam um plano para criação e operação de laboratórios de inovação nas instituições públicas, dividida em 5 módulos:
Arquitetura do Espaço de Aprendizado
Arquitetura do Espaço Físico
Governança
Formação dos Laboratoristas
Comunicação

Próximos desafios

Participaram da oficina as instituições:Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), Justiça Federal do Rio Grande do Sul (JFRS), Agência Nacional de Aviação Civil, além das instituições participantes do programa HubGov 2017. Os participantes, saíram da oficina com o desafio de aplicar e replicar os conhecimentos e iniciar a institucionalização da vontade de inovar nas suas instituições.

Oficina Laboratórios de Inovação no Setor Público


Mais Informações

Gostou dessa oficina? Para saber sobre as próximas atividades, assine a nossa Newsletter. Para solicitação de proposta, entre em contato conosco.
 

Por Lincon Shigaki

Lincon é Facilitador de Aprendizado da WeGov. Formado em Administração na Universidade Federal de Santa Catarina. Trabalhou com consultoria em gestão no Movimento Empresa Júnior, onde foi Presidente da Ação Júnior e da Fejesc. Acredita que podemos viver em um país melhor, e não consegue se ver fora do processo de transformação dessa realidade.

Paulo Manoel Dias
Posted on

Será que é possível eliminar as barreiras que afetam a expressão da criatividade nas organizações?

Quer ver a criatividade em seu auge, fluindo sem restrições? Pare para observar as crianças interagindo!  Nas brincadeiras de criança a criatividade é exercida, sem críticas. Mas, ao longo do tempo vamos deixando para trás o pensar criativo, que “ainda” é visto com certo preconceito na vida acadêmica e profissional. Ora, passamos a ser mulheres e homens sérios, não há tempo para brincadeiras!
Mas será que é possível contornar as barreiras que afetam a expressão da criatividade nas organizações?
Eu particularmente, acredito que sim, e alguns autores como Hicks (1991), também. Hicks, estudando a criatividade no ambiente organizacional classifica as suas barreiras em cinco grupos: de percepção, emocionais, culturais, ambientais, e intelectuais.
Ao reconhecer estas barreiras podemos agir para suprimir, reduzir a influência ou contorná-las. Vamos conhecer um pouquinho mais sobre cada tipo de barreira?

Barreiras de percepção

Estão relacionadas com a forma como a mente gerencia os dados recebidos, ou seja a forma como os acontecimentos são percebidos. Nesta classificação encontram-se:

  • Estereótipos (generalizações sobre comportamentos de outros).
  • Dificuldade de isolar problemas.
  • Visão restrita (visão tipo túnel).
  • Inabilidade de se perceber os acontecimentos de vários pontos de vista.
  • Falha na utilização eficiente de todos os sentidos.

Barreiras emocionais

Quando emoções e sentimentos afetam negativamente nossa capacidade de pensar de forma criativa. São elas:

  • Desejo exagerado por segurança e ordem.
  • Medo de cometer erros.
  • Despreparo para assumir riscos.
  • Falta de motivação.
  • Dificuldade de reflexão.
  • Pressa em resolver os problemas.
  • Incapacidade de uso da imaginação.

Barreiras culturais

Decorrentes da influência da cultura da empresa e da sociedade em nosso modo de pensar e agir. As barreiras culturais tem efeito cumulativo, ou seja, ao longo do tempo vão restringindo cada vez mais a criatividade. Como já dito, crianças são altamente criativas, porém a cultura de nossa sociedade vai “podando” esta habilidade com o tempo. São exemplos de barreiras culturais:

  • Crença que a melhoria não é praticamente impossível.
  • Dizer que reflexão é pura perda de tempo.
  • Crença de que pensar de um modo descompromissado é restrito à crianças.
  • Achar que a lógica é sempre melhor que a intuição.
  • Acreditar que tradição é melhor que mudança.
  • Tabus organizacionais.
  • Estilo de gerência e da liderança da organização.
  • Falta de suporte ao trabalho em grupo.
  • Relutância da organização em implementar as ideias geradas.

Barreiras ambientais

Manifestações físicas no ambiente de trabalho que afetam o “pensar criativo”, por exemplo quebrando a sequência de formulação de ideias.

  • Distrações do ambiente (ruídos, chamadas telefônicas constantes, etc.).
  • Monotonia.
  • Desconforto físico e mental.
  • Restrição de acesso aos meios adequados de comunicação.

Barreiras intelectuais

Dificuldades de relacionamento entre membros de uma equipe de trabalho, podendo se manifestar das seguintes formas:

  • Escolha incorreta da linguagem de solução de problemas.
  • Use inflexível ou inadequado de estratégias e métodos.
  • Falta de informações corretas.
  • Dificuldade de comunicação entre pessoas.

Diante das barreiras, o que fazer?

Ao ler a relação de barreiras acima o objetivo não é desanimar quem atua como gestor ou membro de uma equipe de trabalho. Pelo contrário! Ao invés de simplesmente afirmar que “minha equipe não é criativa” você pode se questionar “como reduzir a influência das barreiras que afetam o pensar criativo?”, e assim ser mais assertivo nas suas ações.

Barreiras de percepção podem ser trabalhadas com atividades em grupo, focadas em solução de problemas, com foco no uso do conceito de empatia. As pessoas devem ser estimuladas a registrar suas percepções e não apenas fatos e dados.

Uma forma eficaz de tratar barreiras emocionais é deixando claro os objetivos da organização, reconhecer o erro como oportunidade de aprendizado, e dar autonomia para as pessoas, para que se sintam desafiadas, com o consequente reconhecimento não só de resultados mas também de esforços.
Quanto às barreiras culturais, o exemplo das lideranças é muito importante para combate-las. Tabus organizacionais devem ser debatidos, até que se chegue as reais causas destes modelos mentais, e o uso dos 5 Porquês costuma dar bons resultados. O modelo de gestão não deve ser uma camisa de força, e sim um fio condutor, resistente mas flexível.
No que diz respeito às barreiras ambientais, fuja das baias que isolam as pessoas, de atividades altamente especializadas e não conectadas na forma de processos, de ilhas de conhecimento. Crie um ambiente de trabalho que não cause sofrimento.
Barreiras intelectuais são combatidas com comunicação confiável, atualizada e acessível à todos. A linguagem usada deve ser tão simples quanto possível, do jeito que as pessoas entendam, sem eufemismos.
E vocês, reconhecem algumas das barreiras à criatividade? Tem dicas de como agir para eliminar ou reduzir estas barreiras? Compartilhe aqui no Blog!


Criatividade x Inovação

Vale a pena assistir à explicação da nossa WeGover, Carol, sobre as diferenças entre criatividade e inovação

[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=jrDwCqVlCX8&w=720&h=400]

Referências: HICKS, Michael J. Problem Solving in Business and Management. London, Chapman & Hall, 1991.

Lincon Shigaki
Posted on

Aconteceu em Florianópolis nos dias 06 e 07 de junho de 2017

A WeGov realizou nos dias 06 e 07 de julho em Florianópolis, a oficina Social Media Gov. As atividades foram construídas para uma profunda reflexão sobre o papel das mídias sociais nas instituições públicas. A sua estrutura, dividida em 10 passos, permite que o profissional social media gov estruture a sua atuação nas mídias sociais.
Alvaro Borba foi o convidado especial para compartilhar com a turma seus conhecimentos e a experiências de anos de trabalho na Prefeitura de Curitiba (Prefs).

Rede: Oficina Social Media Gov

Participaram da oficina representantes das seguintes instituições:
Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE-GO); Ministério da Fazenda; Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS), Câmara Municipal de Chapecó; Banco Naciona de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Tribunal Regional Federal da 5° Região (TRF-5). Além destas, as instituições do Programa HubGov 2017 também participaram desta agenda.

Social Media Gov

A forma de interação entre instituições com o cidadão tem se transformado radicalmente nos últimos anos. Um dos fatores é a presença das instituições na mídias sociais, plataforma onde ocorrem debates sobre as mais variadas temáticas da sociedade.
Nesse sentido, a oficina percorre uma narrativa, onde os participantes constroem a estratégia de posicionamento da instituição para o cidadão. A cada módulo, os participantes criam uma etapa do planejamento e se preparam para operacionalizar as redes da instituição com consistência.
Passo 1: Introdução
Produto: Apresentação sobre o contexto das redes sociais nas instituições públicas
Passo 2: Mobilize os gestores sobre a importância das redes sociais
Produto: Pitch de convencimento
Passo 3: Elabore um planejamento estratégico
Produto: Planejamento estratégico
Passo 4: Crie uma linha editorial alinhada com os propósitos da instituição
Produto: Linha editorial
Passo 5: Atendimento ao cidadão
Produto: Ferramenta de atendimento ao cidadão
Passo 6: Acompanhe o movimento da rede e meça o desempenho do seu trabalho
Produto: Caixa de ferramentas
Passo 7: Defina a rede social ideal para cada tipo de relacionamento com o cidadão
Produto: Manual básico de redes sociais para a instituição
Passo 8: Decida publicar ou não publicar?
Produto: Fluxo de decisão com indicadores
Passo 9: Beleza é fundamental
Produto: Peças criativas
Produto 10: Pratique o desapego, prepare-se para sair!
Produto: Registro das redes


MAIS INFORMAÇÕES

Gostou dessa oficina? Para saber sobre as próximas atividades, assine a nossa Newsletter. Para solicitação de proposta, entre em contato conosco.
Fotos: Flickr da WeGov.
Oficina Social Media Gov

Por Lincon Shigaki

Lincon é Facilitador de Aprendizado da WeGov. Formado em Administração na Universidade Federal de Santa Catarina. Trabalhou com consultoria em gestão no Movimento Empresa Júnior, onde foi Presidente da Ação Júnior e da Fejesc. Acredita que podemos viver em um país melhor, e não consegue se ver fora do processo de transformação dessa realidade.

Lincon Shigaki
Posted on

No dia 11 de julho realizamos a Terceira Roda de Empreendedores Públicos

As rodas de empreendedores tem o objetivo de aproximar os participantes do Programa HubGov com a Liga internacional de Intraempreendedorismo. Já realizamos a primeira e segunda edição, onde compartilhamos experiências e conhecimentos sobre os desafios de liderar mudanças dentro de uma instituição, sobretudo dentro do setor público.
Nesta terceira edição, criamos um espaço colaborativo com os HubGovers, com o foco: possíveis estratégias para mobilizar recursos para viabilizar novos projetos. Os passos construídos com o grupo foram:
Separe 20 min do seu dia para o projeto
Crie restrições para si mesmo através de desafios
Estabeleça datas limites
Faça uma observação de campo
Observe empreendedores como você
Use protótipos para convencer seus gestores

Na prática, destravar recursos é um desafio pelo ponto de vista da escassez e pela intangibilidade do valor da inovação. Para o último ponto, a prototipação é um mecanismo eficaz, utilizado especialmente pela metodologia Design Thinking, para tangibilizar valores e envolver atores na construção de uma solução complexa.
Para praticar a competência da prototipação, realizamos uma dinâmica onde participantes dividiram-se em grupos para criar protótipos que representassem iniciativas para disseminar a inovação nas instituições. Foram utilizados materiais simples para dar forma ao projeto.


Próximos passos

A WeGov apresentou ferramentas que podem ajudar, na prática, os HubGovers nos seus desafios. Além disso, construímos um espaço de compartilhamento para trocar experiências e despertar ideias para aplicar na instituição de cada HubGover.
Continue acompanhando a WeGov para saber sobre as Rodas de Empreendedores Públicos.
 

Por Lincon Shigaki

Lincon é Facilitador de Aprendizado da WeGov. Formado em Administração na Universidade Federal de Santa Catarina. Trabalhou com consultoria em gestão no Movimento Empresa Júnior, onde foi Presidente da Ação Júnior e da Fejesc. Acredita que podemos viver em um país melhor, e não consegue se ver fora do processo de transformação dessa realidade.

Cristina Schwinden
Posted on

A Prefeitura de Palhoça e o ambiente de inovação

Em junho de 2017 fomos até Brasília participar do Seminário de Inovação Aberta promovido pelo Tribunal de Contas da União. A ideia era apresentar um “pitch” de 2 minutos e solicitar a colaboração dos participantes, interagindo nos estandes disponíveis para as entidades selecionadas.
O nosso projeto selecionado foi o “De mãos dadas com Palhoça”. O projeto vem sendo construído no HubGov desde Março de 2017 e tem como premissa a mobilização de cidadãos e da iniciativa privada em ações de revitalização da cidade. Uma abordagem inovadora, mas cheia de desafios burocráticos e jurídicos.
Quando planejamos nossa ida até o evento tínhamos uma expectativa clara: obter ajuda dos demais sobre como poderíamos enfrentar os obstáculos legais que ações como esta trazem ao Município. Ficamos super felizes quando vimos que haviam representantes de diversas organizações públicas de todas as esferas. Vimos o Ministério Público, o Tribunal de Contas, Ministérios, Secretarias, Conselhos, auditores, fiscais e tudo quanto é profissional que normalmente nos procuram quando cometemos alguma falha administrativa.

Pois bem, após o pitch ficamos aguardando a interação que o evento prometia. Realmente algumas pessoas nos procuraram para entender melhor nosso projeto, mas ninguém soube nos ajudar com nosso maior desafio. Vimos aqueles profissionais cheios de conhecimento passando pelo nosso estande e só observando, analisando e indo para o próximo. Decepção…

Que caminhos seguir?

Mas a decepção não foi com o evento, com as instituições ou com os profissionais. Nossa grande decepção foi com a dificuldade nítida de inovar. Sabemos o que queremos com o nosso projeto e onde vamos chegar. Sabemos que o projeto pode solucionar uma gama de problemas que o cidadão e a Prefeitura enfrentam todos os dias devido à ausência de recursos. Mas também sabemos que os órgãos de controle estarão nos observando e nos autuando caso entendam que o projeto pode vir a ferir algum pressuposto legal.
Diante de todos estes que um dia nos apontarão as falhas, pedimos ajuda clara. Colocamos todos os nossos temores e receios. Mesmo assim, nada nos foi dito. Nada nos foi orientado…
Mesmo assim vamos seguir adiante com nosso projeto, pois sabemos do preço do pioneirismo na Administração Pública. Que um dia as pessoas compreendam que só quem tem coragem segue adiante em um cenário tão negativo e turbulento. Pois inovar é para os fortes!

Márcio Welter
Posted on

Uma reflexão para a Administração Pública!

Sim, devem acabar! Do modo que a maioria deles existem hoje, sim! Se estou maluco por trabalhar em um desses setores e estar falando isso? Não, ou pelo menos ainda não. São anos exercitando diversas abordagens, realizando conquistas e também observando retrocessos. Ou seja, precisamos reconsiderar algumas premissas do papel dos setores de planejamento na administração pública.
O significado de um PLANO DE AÇÃO, oriundo de um planejamento estratégico (ou não), está sendo vinculado às exigências de um setor ou área de Planejamento da organização, como se o plano fosse deles. Ou seja, o DESEJO da instituição ou daquele gestor de áreas operacionais ou estratégicas em fazer aquele PLANO DE AÇÃO foi perdido! O “tesão” nunca foi despertado naquele gestor, desde a sua origem no planejamento estratégico, ou então, foi perdido no decorrer do tempo.
Ao reavaliar o papel de setores de planejamento em sua organização, considere refletir as seguintes premissas:

INTERAJA E ITERAJA!

Mantenha o foco sobre o seu problema, no real motivo que você está atuando, seu desafio, e não se apegue insistentemente em ideias de “soluções de hoje” para os “cenários do amanhã”. Interaja com as pessoas e busque mais ideias, descarte ideias, saiba e sinta o que realmente faz essas pessoas se movimentarem, isso fará toda a diferença! Itere, ou seja, repita isso muitas vezes, se adaptando e validando ideias em soluções. Aprenda mais sobre Design Thinking, Prototipação e Empatia.

BUSQUE UM SIGNIFICADO

Atuando em um setor de planejamento considere como incumbência propiciar aos demais gestores da organização re-significarem aquilo que estão fazendo, o papel deles, o sentido de seus setores e atribuições. Observe quão clara é a parte que lhes compete e das suas equipes. Entretanto, não apenas em relação a um plano estratégico ou diretrizes, mas na perspectiva do cidadão, da sociedade, e especialmente das pessoas “para as quais” ele efetivamente trabalha (lideranças) e “com quem” ele trabalha (organização).

INSPIRE O DESEJO EM FAZER

Somos seres sociais. Precisamos e desejamos aceitação e reconhecimento. Antes do plano, pense e tenha certeza que aqueles participantes acessaram o que lhes motiva fazer acontecer. Não menospreze os fatos que todos trabalhamos para agradar ou atender alguém. Leve em conta esse alguém de cada um. O servidor público tem uma tarefa nobre que é servir ao povo, portanto, não esqueça dele, tal qual é atender as diretrizes das chefias superiores. Por fim, sem “tesão” não vai rolar! O planejamento precisa aperfeiçoar as suas preliminares. Conhecer mais profundamente os gestores e suas personagens. A Empatia é a chave.

DEFINA O SUCESSO

Nossa sociedade mudou! Apenas entregar no prazo, na conformidade, na legalidade, na qualidade os produtos, os serviços, as informações não são mais suficientes para garantir a satisfação do cidadão ou dos colegas. Reconsidere a “proposta de valor” na finalidade dos seus setores e da sua organização. Participação, transparência, colaboração, inovação, etc. podem ter um novo destaque em suas prioridades. Estude e considere repaginar o seu “modelo de negócio público”.